Mulher de 51 anos, violava jovem de 16 para que não se tornasse homossexual

A mulher identificada por Tedria Fluellen, de 51 anos, era funcionária da “Worthing High School”, nos Estados Unidos, onde a vítima dos abusos estudava, e ambos frequentavam também a mesma igreja.


Segundo a acusada, manteve alguns actos sexuais com o estudante, mas negou que tivesse havido penetração, e alegou que o tinha feito porque havia outro aluno da escola que o andava ‘a tentar tornar homossexual’ e que essa orientação não era ‘estilo de vida’ para o rapaz.
Já o jovem disse aos investigadores responsáveis pelo caso que foi coagido, pelo menos quatro vezes, a manter relações sexuais com a mulher. Os abusos, que começaram no ano passado, terão ocorrido na casa da agressora, na casa do jovem, num armazém da qual Tedria era proprietária e ainda no seu carro, no parque de estacionamento da escola. Num dos episódios, lembra o estudante que foi drogado com um medicamento misturado numa bebida alcoólica.

A vítima admitiu que a funcionária da escola lhe havia dito, há cerca de um ano, que o jovem ‘não precisava de ser homossexual’, antes de começarem os abusos. E revelou ainda que a mulher lhe enviava várias mensagens de conteúdo sexual e que o tratava por ‘meu amor secreto’.

Deixe um Comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem