Análise completa do álbum “Raízes”, rico em sonoridades e o primeiro do DJ Ritchelly

Já se faz exatamente um mês desde que o álbum Raízes saiu, e ainda tem muita ficha que não caiu, nas redes sociais há ainda muitos comentários, gerou polêmicas e os números continuam a aumentar nas plataformas, calma, iremos explicar cada detalhe aqui nesta matéria.

DJ Ritchelly Álbum


Raízes é o primeiro álbum de originais da carreira de DJ Ritchelly, define-se como um álbum que veio dar luz às ideias do produtor angolano com o foco principal mostrar a musicalidade que cresceu a ouvir, criando uma ligação entre o passado e o presente. O álbum trouxe várias sonoridades alternativas desde o Rap, r&b, trap soul, trap, afrobeats, drill ao Kuduro contando com 14 faixas e vozes de 26 artistas, sendo que 22 são angolanos e 4 são provenientes de outros países.

Por anos, tem sido assim: quando DJ Ritchelly faz um novo lançamento, o mercado abre os ouvidos para escutar. DJ Ritchelly superou o status de mera revelação e se tornou o maior e mais influente nome de sua geração, além de se firmar como uma referência incontestável no hip-hop Angolano como DJ e Produtor Musical.


Um álbum que rescende as “Raízes” do DJ Ritchelly

DJ Angolano, Dj Ritchelly


Em “Raízes”, a faixa de abertura do álbum cantado por Jackes Di, trás uma sonoridade impressionante e como já diz o nome, a faixa tem uma ligação com as raízes do álbum e leva-nos a conhecer a essência do DJ Ritchelly. 

Por outro lado temos o single “Preço” um trap cantando por Gianni Stallone, Lil Drizzy e Jay Arghh, uma outra faixa rica em sonoridade e mensagens de motivação como ouvimos nos versos do Lil Drizzy “Sei que o céu irá brilhar para nós, tarda mais não falha”.

Outra surpresa do álbum foi a colaboração inédita do músico da So Much More, Daboless que apareceu em grande em uma das faixas do álbum, “Motivos de Queixas” uma música que serve de motivação para toda gente que pensa que por não alcançar os seus objectivos estão perdidos ou que está tudo acabado. Em quanto ouvimos a música sentimos uma evolução nos versos do Daboless e também olhamos pela qualidade da música.

Logo mais abaixo encontramos a faixa com mais destaque no álbum, “Modo Kuduro” nas vozes de Ciri, KV Monster, Ney Chiqui e Sadath, um Drill inspirado na música de sucesso “Do Manganza”, do grupo Vagabanda. Além das barras pesadas dos artistas, o single trás uma qualidade acima do que temos ouvido no mercado nacional, o que é de parabenizar. Depois dizer que foi impressionante sentir a sincronização dos artistas na faixa.

Saiba mais sobre o DJ Ritchelly

Sentimos a mesma sonoridade contagiante na faixa “Suave” com Emana Cheezy e Jessy Nunes e voltamos a sentir a mesma energia nas colaborações internacionais, nas vozes de Missy Bity e MacaiaInveja e Fasin So N’tindi”. Falando do RapPuro, notamos uma grande surpresa na faixa “Barras e Rimas” e sentimos um crescimento artístico nos versos de Rigoberto Torres, Papekas e Liu Kid (Comparando com as suas outras faixas já lançadas). Voltamos a ouvir o Rigorberto nas faixas “Don’t Worry” com a Briisa, SOF e Jackes Di e também na música “Melaço” com o Sidjay, bem, o propósito do álbum foi realmente este, tirar todo artista da sua zona de conforto e foi o que se constatou.

Outro artista que mostrou a sua diversidade e ser um artista completo é o Pepekas que além de participar em uma das faixas com mais destaque no álbum apareceu novamente em mais duas faixas “Negra” com o Spike Lean e “Remédio” com o Tino OG, Juelson Marcos, e Lil Jorge. Por fim temos a última faixa do álbum, a música “Sacanagem” com A’aires, Wilca Vicente e LordCK.

No final, o que se percebe é que o DJ Ritchelly cumpriu bem com sua promessa. Raízes é um álbum nostálgico para muita gente e divertido para outros, cheio acompanhado de um Rap ao seu mais alto nível com alguns temas superficiais e estilos diferentes mas que tiveram uma sincronização impressionante.


O álbum é bem perfeito para se ouvir do início ao fim, pois há uma variação muito grande entre as faixas com artistas de várias gerações e estilos diferentes e não tem como o ouvinte se aborrecer. Já como pontos negativos do álbum, vamos mencionar aqui a ausência se artistas grandes e também por ser um álbum muito virado ao R&B, visto que o público espera mais ouvir mais o estilo Drill ou ver a colaboração de artistas no álbum, mas logo na descrição do projeto, DJ Ritchelly explicou a essência do álbum por isso justifica-se.

Em suma, RAÍZES, é um divertido e clássico álbum por isso poderá alcançar um público maior do que os amantes do rap angolano.alert-success


DEIXA O SEU COMENTÁRIO

Estimado leitor, DEIXA O SEU COMENTÁRIO AQUI, dê a sua opinião, ideias e sugestões...

Podes sugerir correções, ou dar opiniões sobre o nosso trabalho e sobre este artigo estás no lugar certo, podes ainda nos ajudar em ideias de assuntos que gostarias de ler, ver ou saber na MWANGOLE NEWS (MWNEWS) através do botão abaixo.

Postagem Anterior Próxima Postagem